UFC: após despachar Glover, Jones pode entrar numa fria; noite teve vitória de paraibana - Rádio Arara FM 87,9

UFC: após despachar Glover, Jones pode entrar numa fria; noite teve vitória de paraibana

don-jonesPara o presidente do UFC, o americano Jon Jones, de 26 anos, fez a melhor exibição de sua fantástica carreira na madrugada deste domingo, ao derrotar o brasileiro Glover Teixeira, por decisão unânime dos jurados, no UFC 172, em Baltimore. Agora, Dana White prepara uma situação altamente desfavorável para colocar o talento do campeão à prova mais uma vez – e, se o americano contou com o apoio permanente da torcida no duelo com Glover, Jones deverá ser alvo de um público hostil em seu próximo desafio. O chefão do torneio revelou depois da luta que pensa em colocar o campeão frente a frente com Alexander Gustafsson, o sueco que quase tomou seu cinturão, num estádio de Estocolmo, com quase 50.000 pessoas torcendo contra o dono do cinturão dos meio-pesados. Pior: a luta deve acontecer no fim da madrugada, de forma a transmitir o evento ao público americano pela TV no horário costumeiro dos principais duelos do UFC.

Dana White quer aproveitar o fenômeno do sol da meia-noite, no verão do Hemisfério Norte, que deixa a Suécia permanentemente iluminada, para promover uma noitada de lutas que chegaria até a manhã do dia seguinte. “Nessa época do ano, lá fica claro 24 horas por dia, então a gente faria o evento lá pelas quatro da manhã”, disse o dirigente nos bastidores da Baltimore Arena. O palco escolhido é a Tele2 Arena, novo estádio nacional da Suécia, inaugurado no ano passado depois do fechamento do lendário Estádio Rasunda, onde o Brasil conquistou sua primeira Copa do Mundo, em 1958. O UFC quer promover o duelo como a maior revanche da história do torneio, já que Jones nunca foi tão ameaçado por nenhum outro rival como no encontro com Gustafsson, no ano passado. “Podemos ter 50.000, 60.000 pessoas no estádio”, disse Dana White, que contou inclusive que já discute detalhes do evento com um dos donos do UFC, Lorenzo Ferttita.
Questionado sobre qual seria a reação de Jon Jones ao receber esse desafio – o campeão tem desdenhado de seus adversários e é acusado por oponentes de escolher as lutas mais convenientes para ele –, o chefão do torneio deixou claro que o americano não terá escolha. “Jon vai concordar com qualquer luta que o UFC decidir. Não há ninguém dizendo para nós onde quer lutar. Isso não acontece. Levaremos a luta para onde ela tiver mais chance de sucesso.” Se derrotar Gustafsson, Jon Jones vai empatar com Georges St-Pierre na lista dos atletas que mais venceram no UFC, com doze triunfos (Anderson Silva, o recordista, tem dezesseis). Com sete defesas de cinturão consecutivas, o dono do título dos meio-pesados já se aproxima dos números de GSP (nove defesas) e Anderson (dez) também nesse quesito. Ele agora tem catorze vitórias na categoria meio-pesado, superando o ídolo aposentado Chuck Liddell e seu ex-companheiro de treinos Rashad Evans.
Os alvos da soberba de Jon Jones

‘Gustafsson precisa calar a boca’

Após assustar o campeão em Toronto, Gustafsson pediu revanche imediata e deu declarações que irritaram o dono do cinturão. Em entrevista ao site MMA Fighting, Jon Jones atacou o sueco. “Eu o respeitava muito mais antes de lutarmos. Gustafsson é muito arrogante para quem não venceu. Eu acho isso engraçado. Ele perdeu a luta de forma inquestionável. Admito que perdi o primeiro e terceiro rounds, mas parou por aí. Eu venci a luta. Nunca vi ninguém falar tanto após ter sido derrotado. Poderia admitir a atitude dele se tivesse havido um dedo no olho e a luta tivesse sido interrompida, ou se eu tivesse acertado um golpe devastador após ele estar vencendo a luta claramente, e eu vencesse de virada. Mas nada disso aconteceu. Nós demos tudo que tínhamos ali, e eu provei ter três vezes mais coração que ele. Gustafsson precisa calar a boca, voltar para a academia e aguardar humildemente uma segunda chance.”

‘Cormier não enfrentou ninguém’

Ex-campeão peso-pesado do Strikeforce, o americano Daniel Cormier baixou de categoria e se destacou em sua estreia nos meio-pesados do UFC. Ele, então, se viu no direito de pedir – muito educadamente –,  uma disputa de cinturão com Jones. O campeão, porém, deu de ombros. “Primeiro de tudo, já que você está falando mais respeitosamente, vou dizer parabéns pela sua vitória e pela perda de peso. Mas quanto a te dar uma chance de título, não tenho nenhum interesse em enfrentá-lo agora, só pelo fato de você realmente ainda não ter enfrentado ninguém que eu considere um lutador de alto nível. Estou meio cansado de ver os meio-pesados do UFC lutarem contra caras fracos até receberem uma chance de título. Realmente quero ver um desafiante top enfrentar outro desafiante top e acho que você precisa enfrentar alguém um pouco mais conhecido do que Patrick Cummins. Lute contra Rashad (Evans), lute contra alguém legítimo, cara. Aí, vou achar que é mais apropriado dar a você essa chance pelo título”, declarou o campeão.

‘Weidman tem que tornar seu nome um pouco maior’

Jon Jones já cogitou subir de categoria algumas vezes, mas rejeitou a hipótese de ser desafiado por Chris Weidman, o americano ainda invicto que destronou Anderson Silva entre os médios, em uma superluta. “Muitas pessoas estão começando a mencionar o nome do Chris Weidman comigo, e eu acho que, para ser uma superluta, Chris Weidman tem que tornar seu nome um pouco maior e provar algo contra outros campeões mundiais. Dito isso, acho que Cain Velásquez é o único cara que eu enfrentaria em que seria realmente uma superluta”, afirmou Jones em entrevista ao programa Inside MMA do canal AXS TV. O lutador admitiu o desejo de subir para categoria dos pesados, caso consiga defender mais três vezes o cinturão dos meio-pesados.

‘Anderson Silva não deveria terminar assim’

Nem mesmo o brasileiro Anderson Silva, apontado diversas vezes como uma referência para Jones, escapou da língua ferina do campeão. Sem deixar de ressaltar seu respeito por Spider, Jones lamentou as derrotas seguidas do ex-campeão para Chris Weidman de forma incisiva. “Foi muito triste. Sei quanto tempo Anderson Silva tem trabalhado para ser quem ele é. Ganhei várias lutas pelo título. Esse cara ganhou doze ou treze. Então, ver uma magnífica carreira e tal legado ficarem manchados por duas derrotas como aquelas é uma porcaria. Deixa um gosto estranho na boca. Não deveria terminar assim”, disse ele a uma rádio de Washington.
UFC: o que vem por aí em 2014

Chris Weidman x Lyoto Machida

5 de julho, em Las Vegas. Depois de derrotar Anderson Silva pela segunda vez, Weidman terá de encarar outro veterano brasileiro, novamente na capital das lutas. Ele seria Vitor Belfort, mas o carioca desistiu após a proibição do TRT. Lyoto será o substituto. O evento ocorreria em 24 de maio, mas Weidman se lesionou nos treinos e o combate acabou sendo adiado.

Wanderlei Silva x Chael Sonnen

5 de julho, em Las Vegas. Os técnicos da terceira edição do TUF Brasil inicialmente foram escalados para o mesmo card de Weidman x Belfort. Depois, passaram para a luta principal de um outro evento, em São Paulo, o local das gravações do programa, mas foram remanejados para o card de Weidman x Lyoto depois de Wand se machucar ao brigar com Sonnen.

Renan Barão x TJ Dillashaw

24 de maio, em Las Vegas. Astro principal do UFC 173, o potiguar Renan Barão, detentor do cinturão dos pesos galo e atual terceiro colocado no ranking peso-por-peso, tentará manter o Brasil no topo de sua categoria. O embate contra o americano TJ Dillashaw promete ser ainda mais acirrado – os dois fazem parte de academias que são consideradas rivais.

Júnior Cigano x Stipe Miocic

31 de maio, em São Paulo. Com a mudança do combate entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen, o UFC decidiu apostar na luta entre o brasileiro Cigano e o americano Stipe Miocic, na categoria peso-pesado, como a nova luta principal do UFC 173. Esta será a primeira vez que o carismático Cigano, ex-campeão do UFC, lutará no Brasil desde que ingressou na organização.
UFC 172: os outros resultados da noite

Beal x Williams

Chris Beal derrotou Patrick Williams por nocaute no segundo round (peso-galo)

Castillo x Brenneman

Danny Castillo derrotou Charlie Brenneman por nocaute no segundo round (peso-leve)

Correia x Duke

A paraibana de Campina Grande, Bethe Correia derrotou Jessamyn Duke por decisão unânime dos jurados (peso-galo)

Gomi x Vallie-Flag

 Takanori Gomi derrotou Isaac Vallie-Flagg por decisão unânime dos jurados (peso-leve)

Benavidez x Elliott

Joseph Benavidez derrotou Tim Elliott por finalização no primeiro round (peso-mosca)

Holloway x Fili

Max Holloway derrotou Andre Fili por finalização no terceiro round (peso-pena)

Miller x Medeiros

Jim Miller derrotou Yancy Medeiros por finalização no primeiro round (peso-leve)

Rockhold x Boetsch

Luke Rockhold derrotou Tim Boetsch por finalização no primeiro round (peso-médio)

ohnson x Davis

Anthony Johnson derrotou Phil Davis por decisão unânime dos jurados (peso meio-pesado)
Fonte: Veja
Share on Google Plus

About Sejam bem vindos à Rádio Arara FM

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.